sábado, 7 de outubro de 2017

Tendo


Sorriso, diz logo o que tanto...

Entontece todo o caminho

Hoje eu vou ouvir um chorinho,
Bem complicadinho,
Lá no Pelourinho

Dos 3 tocadores de coração
Você é o quarto da percussão

Alaranja, azulesce, amarela, amanhece, ...

Ontem eu lhe vi subindo escadas
E olha quem do lado estava:

A dos cachos cheios de olhos leitores
A do lombo sambadeiro
A do dengo de unhas
A do cheiro em todas as inspirações
A da cerveja com algas
A do amor chein de razão...

          Lai Câmara

Ora iê iê ô!

Ouro que eu vejo então
Oxigênio das bolhas d’água
Uma mão em minha mão
Atendente das raras, imediatas
Magia, cabelos, canção ;
Olhar, aviso, salvação!

Alfazema por baixo dos complementos do corpo
Água de laranjeira ensina, tem obrigação

Dia todo que tem Você
É dia de renascer
Dia todo que tem Iê iê
Eu olho e sei o porquê

Oxum minha mãe
Ainda bem que eu também escolhi Você!
     
               Lai Câmara

domingo, 1 de outubro de 2017

                            Distante

Olhando bem pra minha ode,
Pauso no momento de sempre
Incerto
O que existe no entanto
Me tem feito a cabeça
De cabeça feita vou me desfeitar
Faço eu a minha cabeça
E ninguém há de internar-se
P me fazer bagunçá-la
Uma instável certeza
Uma dor um abraço
Vivo isso a cada ida – junção
A virginiana de cá ta cheia de passagens
Só falta caminhar!


                                              Lai Câmara

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Minha dança 
(Você ta dançando comigo!)

Q sensação infinita,
Uma anestesia, me contorco,
Um banho na chuva,
Uma paralisia,
Um sorriso frouxo,
Uma magnitude,
Ô palavrão,
Sem definição,
Uma pequeneza na explicação...
Consigo ir além não,
Meu ainda bem é que A tenho
Pra me deixar dizer sempre
Que eu te amo pra sempre!
  
Lai Câmara

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Coisa Linda!

Deixa esse tanto abrir os caminhos
Faltando tanto inda tá
Deixa o sorvete chegar pra sujar a roupa, lamber os dedos, trocar os mesmos beijos,
Deixa a Dona Vida dar seu pitaco
Deixa que tudo isso rime com o conforto daquele abraço...

                                                     Lai Câmara


domingo, 13 de agosto de 2017

De boa-fé

À Tico
Limpidez pro meu retorno
Num canto de tua gaiola
Um receio que já me dá
de te afastar, de me camuflar, de errar de novo...
Eu to lavando a alma bem acelerada
Tirando as palhas, matando a saudade de mim.
Eu tô oxigenada, preparada, tenaz.

Na minha vida tinha um corredor
Daquele das casas antigas
 típicas da Ribeira
chein de quartos
Eu, a olhar aquele intervalo passar.
Mas, como aqui-agora tem um “a gente”
Bora fruir?
Duas mentiras, uma verdade,
Três verdades, uma mais viva!
Esta que eu teimo em enxergar
quando teu olho me olha
A mais viva? é que ele é um homem de boa-fé!

                                                          Lai Câmara

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Se conselho fosse bom...

Se conselho fosse bom...
                                                               (a 2ª - à Petti)

Não queira estacionar no limo do amor, é teste pra poucos, é mundo solitário, rasteira de confusão.
Preserva o teu universo, que há tanto anda atrasado, teu canto entusiasmado, tua poesia de cerração, tua maternidade mais completa.
Estudaaaaaaaaaaaaaaaaaaa as tuas línguas, encontra os TEUS anseios, que foram injustamente disfarçados.
E vive o egoísmo desmedido, e viva a poesia do topo,
Vive, o encontro e o talvez, vive, a despedida.
Que se da novidade se faz montante, viva a vida num instante, mas viva a vida num montante.
Engrandece o desperdício, momentâneo, que há um monte de princícios,
A da rima uma amizade, a da rima uma SANIDADE,
E que se a gratidão lhe for uma porta, esfrega as mãos agora e, viva o batidão, kkk
Suspiros daquele emoji que ainda há por vir...

                                               Lai Câmara